Asteróide vai extingüir a publicidade

Não é à toa que jornalistas e publicitários arrancam penas uns dos outros. O mais recente caldo surgiu de uma campanha publicitária da Citröen que, disfarçada de jornalismo, fez muita gente acreditar que um asteróide se chocaria com a Terra em julho (mais aqui).

Jornalistas e publicitários cursam (ou ao menos deveriam) Comunicação Social. Devem ter disciplinas ligadas a ética. Devem estudar fenômenos de opinião pública para ter consciência de que trabalham com ela. Ambos, no fim, almejam fazer as pessoas felizes. Uns ao tornarem-nas informadas e cônscias de suas realidades. Outros criando mundos de alucinação e necessidades de mentira. Uns são o remédio, outros o psicotrópico social e mercantil (talvez a associação explique o fato de publicitários ganharem tão mais que jornalistas).

A publicidade vive tirando proveito da credibilidade e do formato que o jornalismo levou décadas (talvez séculos) para construir. Seguindo a prática de sua categoria, o brilhante autor da campanha do asteróide tirou proveito de formatos noticiosos de diversos portais para enganar pessoas.

Isso é moralmente incorreto. Um fato como a colisão de um asteróide causa comoção pública. Há gente ligando para as redações para saber se é verdade ou não. Um colega ouviu gente comentando o fato como se fosse notícia em uma cafeteria próxima ao trabalho. Marketing viral o escambau. E o compromisso público da comunicação social?

Pena que o Conar (Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária) é fraco. Caberia punição à agência, ao profissional. Uma OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) caçaria o título de um cidadão como este. Usar um fato que pode gerar tamanha comoção pública pode ser brilhante para um artista como Orson Welles (lembra de “A Guerra dos Mundos”?), mas para um publicitário, que deveria ter responsabilidade sobre a comunicação social, deveria ser crime.

Anúncios

2 comentários sobre “Asteróide vai extingüir a publicidade

  1. Olá Madu!

    Quem fala aqui é uma ex-estagiária sua no Terra, a Luiza Caires.

    Encontrei seu blog por acaso, pesquisando jornalismo e tecnologia.

    Veja como o mundo dá voltas. Estive trabalhando na TV1.com, uma produtora de sites, que por coincidência tem a conta do Fleury.

    Fui à sede do Fleury outro dia e encontro a Silvia Marconato como coordenadora de comunicação de lá…

    Lendo seu blog percebi que temos muito em comum nas opiniões – quase não dava tempo para conversarmos naquela loucura do Terra, né?

    Enfim, no momento estou lutando arduamente para entrar no mestrado da ECA. Quem sabe nos encontremos por lá… lembro que você também queria fazer mestrado (se é que já não fez!).

    Grande beijo,
    Luiza.

    luizahelenac@yahoo.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s